MINICURSOS: confira os resumos

MINICURSOS

1. IDENTIFICAÇÃO DE MOLUSCOS FÓSSEIS BRASILEIROS

Ministrante: Dr. Luiz Ricardo Lopes de Simone

Instituição: Museu de Zoologia, Universidade de São Paulo - USP

Número de Vagas: 20

Resumo: A identificação de moluscos não é uma tarefa fácil, e muitas vezes, depende de uma análise além da concha, como anatomia e morfologia externa. Lançar mão de especialistas é comum para obter uma identificação mais precisa e segura. Identificar moluscos fósseis é ainda mais complicado, pois nem o organismo inteiro está disponível. Em geral lidamos apenas com vestígios e fragmentos, o material original fora substituído e, além disso, é necessário acrescentar à equação a idade em que o organismo viveu. A idade é um fator imprescindível, pois ela é indicativa de dados bióticos e abióticos pretéritos que influenciam na análise do fóssil. O curso explorará essa visão, mostrando as principais formações fossilíferas brasileiras e como proceder para estudá-las.

 

2. A CULTURA MAKER COMO ALIADA DE MALACÓLOGOS QUE RECORREM Á MICROSCOPIAS ELETRÔNICAS DE TRANSMISSÃO E VARREDURA

Ministrante: Dra. Gisele Orlandi Introíni

Instituição: Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA

Número de Vagas: 30

Resumo: A concepção da forma, cerne da morfologia, é resultado da confluência de processos dinâmicos ambientais, genéticos e epigenéticos. Cabe ao pesquisador a reprodução detalhada e fidedigna das formas em conjunto. Desafio que requer a utilização combinada de diferentes tipos de microscopias eletrônicas e de luz. Considerável parcela das investigações em Malacologia (que busca entender a conexão entre design e função) respalda-se em aspectos conquiliológicos, na arquitetura de células, no arranjo tecidual e nas estruturas anatômicas internas. Os avanços tecnológicos disponibilizam aos morfologistas os softwares de modelagem e impressão tridimensional. O presente mini-curso levanta temas relacionados ao estreitamento de diálogo entre especialistas do Design/Informática e aqueles com expertise nos diferentes níveis hierárquicos de organização da vida. Com o objetivo de contribuir para os processos de Ensino-Aprendizagem e Divulgação/Publicação de pesquisa científica, a elaboração de protótipos com tecnologias de fabricação digital torna-se uma forte aliada dos profissionais que trilham a terra a priori incógnita e em constante mutação nascida no contexto da 4ª revolução industrial. Estamos diante de mudanças de paradigma e não de mais uma etapa do desenvolvimento tecnológico. Portanto, é urgente o debate sobre a cultura maker entre aqueles que estudam, ensinam e descrevem Morfologia, especialmente no campo da Malacologia.

 

3. TRAÇOS DA HISTORIA DE VIDA E DINÂMICA POPULACIONAL COMO FERRAMENTAS PARA CONSERVAÇÃO DE BIVALVES LÍMNICOS

Ministrante: Dra. Cláudia Callil

Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT

Número de Vagas: 30

Resumo: Sérios esforços têm sido empreendidos a fim de atualizar o status de conservação dos bivalves límnicos no Brasil. Desviando o foco sobre o status de registros de ocorrência de espécies, proponho enfatizar alguns pontos que podem não ter recebido adequada atenção nas discussões sobre conservação deste grupo. Vou partir de dois pressupostos teóricos: a quantidade de energia alocada entre reprodução, manutenção e crescimento como característica fundamental da história de vida de um organismo, ii) as restrições na disponibilidade de energia resultam em “trade-offs” característicos refletindo nas estratégias pelas quais os organismos se adaptam ao seu ambiente. O objetivo é embasar e fomentar discussões sobre como o ambiente influencia na composição das assembleias de bivalves, qual o papel funcional desempenhado por estas nos ambientes em que ocupam, qual o efeito da conectividade dos ambientes na manutenção do fluxo gênico e taxas de colonização e extinção em uma metapopulação. A meta é avançarmos na elaboração de um cenário realista que promova a conservação deste grupo.

 

4. BIOINVASÃO DE MOLUSCOS NO BRASIL : O QUE FAZER??

Ministrante: Dra. Maria Julia Martins Silva

Instituição: Universidade de Brasília – UNB

Número de Vagas: 30

Resumo: Os moluscos formam um grupo de organismos que só perdem para os insetos em volume de estudos, espécies descritas e informação. Entretanto, apesar disso, é um grupo que ainda possui diversas espécies a serem registradas e descritas no território nacional. O grupo dos moluscos invasores, tanto aquáticos quanto terrestres, é bem conhecido em termos taxonômicos, porém ainda existem lacunas em algumas áreas de estudo (sua anatomia, fisiologia, mecanismos de invasão e mecanismos de combate). Este minicurso abordará os conceitos básicos de espécie exótica e invasora, tipos de bioinvasão, histórico da invasão de cada espécie, além dos exemplos de espécies invasoras aquáticas e terrestres no Brasil.

 

 5. TÉCNICAS DE ESTUDOS ECOLÓGICOS DE MOLUSCOS EM AMBIENTES ENTRE MARÉS

Ministrante: Dra. Erminda da Conceição Guerreiro Couto

Instituição: Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC

Número de Vagas: 30

Resumo: Conceituação de ambientes entre marés e de seus principais tipos: inconsolidados (como praias, manguezais, marismas, pradarias e planícies entre marés não vegetadas) e consolidados (como recifes de diferentes tipos, costões e afloramentos rochosos, estruturas construídas pelo homem). Principais aspectos físicos e químicos. Adaptações dos moluscos aos ambientes entre marés. Estratégias para desenvolvimento de estudos em áreas tropicais e temperadas. Estudos descritivos ou experimentais (manipulação)? Quais as suas aplicações e limitações? Quais as principais lacunas de conhecimento na costa brasileira? Quais os ambientes e espécies melhor estudados?

 6. CURADORIA DE COLECCIONES CIENTÍFICAS Y SU IMPORTANCIA EN EL ESTUDIO DE LA BIODIVERSIDAD MARINA

Ministrante: Dr. Guido Pastorino

Instituição:

Número de Vagas: 30

Resumo: En general se considera que las colecciones de organismos son el acervo cultural de las instituciones, la herencia para las generaciones futuras. Se valora entonces la importancia de las instituciones en función de las colecciones que contengan. Esto es así. Sin embargo, las colecciones indiscutidas en su valoración son aquellas que contienen ejemplares tipo. El resto son en realidad bastante cuestionadas por ocupar gran espacio y ser usualmente lugares de inversión constante de fondos y pocos resultados visibles. Se desarrollaran una serie de puntos convenientes sobre la validez de las colecciones biológicas en general y aquellas destinadas al estudio de la biodiversidad marina en particular, pues exaltan la utilidad y necesidad de mantenerlas activas. Se detallan las experiencias de las colecciones en varias instituciones argentinas.

 

7. IDENTIFICAÇÃO DE MOLUSCOS TERRESTRES DE INTERESSE MÉDICO E ECONÔMICO

Ministrante: Dra. Meire Silva Pena

Instituição: Pontifícia Universidade de Minas Gerais - PUCMG

Número de Vagas: 20

Resumo: O curso tem como objetivos reconhecer os moluscos gastrópodes terrestres de importância médica e econômica quanto a: caracteres taxonômicos, e aspectos biológicos que os caracterizam como “pragas” ou hospedeiros. Será abordado: Caracterização da classe Gastropoda e suas adaptações morfofisiológicas para a conquista do ambiente terrestre; Conquiliologia e utilização dos caracteres da concha na taxonomia; Aspectos biológicos. Bibliografia: ABBOTT, R.T. –Compendium of Landshells. American Malacologists, Inc., Melbourne, 1989. 240p. il. BARKER, G. M. – The Biology of Terrestrial Molluscs.CABI Publishing, New Zealand, 2001 -PARKINSON, B; HEMMEN, J. & GROH, K –Tropical land shells of the world. Verlag Christa Hemmen, Wiesbaden, 1987. –THOMÉ, J.W.; GOMES, S.R. & PICANÇO, J.B. Os caracóis e as lesmas dos nossos bosques e jardins: guia ilustrado. USEB, Pelotas, 2006.

 

 

 8. LICENCIAMENTO AMBIENTAL FEDERAL

Ministrante: Dr. Daniel Mansur Pimpão

Instituição: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Superintendência Regional em Santa Catarina - IBAMA

Número de Vagas: 30

Resumo: O curso deve proporcionar uma visão geral sobre o licenciamento ambiental de empreendimentos que, no âmbito federal, são conduzidos pelo Ibama. Abordará os principais procedimentos e etapas do processo de licenciamento no Ibama, com a apresentação mais detalhada do organograma de funcionamento, e discutirá as mudanças mais recentes, levanto ao conhecimento dos participantes a legislação mais utilizada. As principais normas utilizadas serão comentadas. Serão discutidos problemas comuns que ocorrem desde a submissão de solicitação de licença até o monitoramento com os programas ambientais, de modo que quem trabalhe na área possa ter uma melhor compreensão e evitar dificuldades no andamento dos processos.

 

9. UM CAFÉ COM MALACÓLOGOS: ESTATÍSTICA E COMPARTILHAMENTO DE DADOS, TUDO SOBRE A MESA

Ministrante: M.Sc. Rogério Conceição Lima dos Santos

Instituição: Universidade Federal do Mato Grosso –UFMT

Número de Vagas: 30

Resumo: A estatística para muitos pesquisadores é a parte mais complicada de um trabalho científico. Após tomar um café e olhar os dados sobre a mesa esse pensamento pode mudar. As análises são ferramentas essenciais, porém devem sempre atender as perguntas científicas. Neste MC abordarei a importância da maneira como os dados são obtidos, como podemos associar as amostragens em diferentes escalas espaciais e ainda,  as diversas formas de análises/explorações estatísticas dessas informações. Roteiro:i) O objetivo do trabalho serve pra quem?; ii) delineamento amostral e suas confusões; iii) compartilhamento e explorações estatísticas dos dados. Ter a compreensão de todos os passos percorridos durante um estudo podem resultar em informações robustas e importantes, respondendo questões amplas e pontuais, e consequentemente, desmitificando o "temor" da estatística. Vamos tomar um café?

 

10. IDENTIIFCAÇÃO DE GASTROPODA AMPULARIIDAE

Ministrante: Dra. Silvana Aparecida Thiengo

Instituição: Fundação Instituto Oswaldo Cruz – FIOCRUZ-RJ

Número de Vagas: 25

Resumo: O mini-curso visa ao estudo dos ampulariídeos sob os pontos de vista da morfologia, taxonomia e filogenia, com ênfase nas espécies nativas do Brasil e sua importância médico-veterinária e econômica. Trata-se de um curso essencialmente prático, ao final do qual espera-se que o aluno seja capaz de reconhecer as estruturas morfológicas diagnósticas necessárias à identificação das principais espécies de nativas atualmente conhecidas.

 

11. PATÓGENOS DE BIVALVES CULTIVÁVEIS

Ministrante: Edilson Rodrigues Matos

Instituição: Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA

Número de Vagas: 30

Resumo: Noções e reconhecimento, ao microscópio de luz (óptico), dos tecidos animais fundamentais (epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso); Organização do espaço físico de um Laboratório de Histologia; Instrumental e equipamentos necessários; Preparo de reagentes e corantes; Dissecção, fixação, inclusão em parafina e em Epon, corte e coloração de tecidos animais; Técnicas de preparo de extensões/esfregaços, decalque (“imprint”), e esmagamento ("squash"); Diagnóstico ao microscópio de luz para interpretação dos resultados do processamento (fixação, inclusão, corte, coloração), e detecção de artefatos/erros do processamento histológico; Noções de segurança no trabalho laboratorial e descarte de material tóxico; Noções preliminares sobre técnicas aplicadas a microscopia eletrônica (TEM e SEM) e biologia molecular.

 

12. SANIDADE EM MOLUSCOS BIVALVES DE IMPORTÂNCIA ALIMENTAR

Ministrante: Dra. Eliana de Fátima Marques de Mesquita

Instituição: Universidade Federal Fluminense – UFF

Número de Vagas: 30

 

13. UTILIZAÇÃO DE BICOS NA IDENTIFICAÇÃO DE CEFALÓPODES OCEÂNICOS

Ministrante: Dr. Teodoro Vasque Junior

Instituição: Universidade Estadual Júlio Mesquita – UNESP

Número de Vagas: 20

Resumo: O objetivo do minicurso é identificar alguns cefalópodes (lulas e polvos) oceânicos através de suas mandíbulas ou bicos, que são estruturas quitinosas e com características peculiares de cada espécie ou família. Serão apresentados os principais predadores de cefalópodes como os grandes peixes oceânicos, aves e cetáceos, suas presas preferencias e posicionamentos na coluna d’água. A seguir, uma metodologia resumida de como analisar conteúdos estomacais e então focar na identificação dos bicos através do reconhecimento das características morfológicas típicas das espécies e famílias de cefalópodes da costa brasileira. Será fornecido material (bicos) e bibliografia para o treinamento das identificações. Os participantes serão presenteados com um livro de identificação, bem como bibliografia ilustrada em pdf para apoio e consulta.

 

14. FOTOGRAFIA MALACOLÓGICA

Ministrante: Dr. Carlos Eduardo Belz

Instituição: Universidade Federal do Paraná – UFPR

Número de Vagas: 25

Resumo: A imagem sempre esteve presente em nossa sociedade, mas a partir do invento da fotografia ela ganhou uma dimensão muito maior, a ponto de influenciar de forma significativa nosso cotidiano. Porém, como qualquer forma de comunicação, ela precisa ser bem trabalhada para transmitir seu conteúdo. Quem nunca se deparou com um livro ou um trabalho científico com imagens ruins e sem contexto? O objetivo deste curso é capacitar os alunos para compreenderem os conceitos técnicos da fotografia e seu uso como forma de comunicação científica dentro da malacologia. Não se preocupe com equipamento, venha expandir seu olhar para a fotografia. Ao final do curso será organizada uma exposição com as fotos dos alunos. 

 

15. APRENDENDO A RECONHECER OS GASTROPODES ANCYLINAE

Ministrante: Dra. Sonia Barbosa dos Santos

Instituição: Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ

Número de Vagas: 25

Resumo: Os ancilídeos: quem são? Caracterização morfológica. Posição sistemática e história evolutiva. Gêneros e espécies presentes no Brasil: principais caracteres diagnósticos, distribuição geográfica. Ecologia e ciclo de vida. Técnicas para o estudo dos ancilídeos: coleta, fixação, dissecção, biologia molecular.

 

 

OFICINAS

  1. UTILIZAÇÃO DE CONCHAS DE MOLUSCOS NA ELABORAÇÃO DE ARTESANATO

Ministrante: Artesão Luiz Carlos Pereira Damasceno

Instituição: Universidade Estadual da Paraíba – UEPB

Número de Vagas: 25

Resumo: A beleza das conchas atrai a atenção da humanidade há séculos. Historicamente, as conchas tiveram um papel importante na economia de populações humanas, bem como em atividades manuais, como ferramenta, objeto de decoração e ornamentação. O artesanato produzido com conchas figura como uma fonte de renda para centenas de famílias ao longo da costa, mas nem sempre os trabalhos produzidos utilizam métodos sustentáveis de obtenção do material empregado nas peças. Nesta oficina, serão mostradas e ensinadas técnicas de confecção de artesanatos de conchas obtidas de forma sustentável e que resultam em peças inéditas, não encontradas a venda nas lojas de artesanato ao longo do Brasil. As peças que serão trabalhadas resultarão em produtos decorativos e utilitários de uso comum no dia-a-dia das pessoas, favorecendo as vendas e ao mesmo tempo trazendo uma mensagem em prol da conservação da fauna marinha. 

 

  1. COMO INICIAR UMA COLEÇÃO DE MOLUSCOS PARA AMADORES

Ministrante: Sr. José Carlos Tarasconi

Instituição: Centro de Estudos Marinhos do Atlântico Sul - CENEMAR e sócio dos Conquiologistas do Brasil

Número de Vagas: 30

Resumo: Será apresentada uma informação inicial sobre Malacologia, Conquiliologia, sobre o Filo Mollusca e suas principais Classes, com fotos e conchas. Será discutido o interesse pelas conchas de moluscos e sua importância. Apresentaremos as principais maneiras de se conseguir conchas (coleta, troca, compra) e os ambientes onde podem ser encontradas na natureza. Trataremos dos cuidados na coleta, limpeza e conservação dos exemplares, bem como nas diversas formas de armazenamento e catalogação do acervo. Será disponibilizado material (conchas e livros) para que os participantes procurem identificar espécimes de moluscos bem como sua classificação, organização e depósito. Disponibilizaremos material (cascalho com micromoluscos) para que seja triado, identificado e etiquetado. Incentivamos a que os interessados tragam as conchas que possuírem para serem estudadas e identificadas.